Mini Curso de Estética, Marketing Pessoal e Oratória

1. Objetivo do Curso:

Este curso tem como objetivo:

Preparar o participante para compreender a profundidade da arte de se comunicar;

Trabalhar a dicção e identificar bloqueios;

Conscientizar para a necessidade da coerência quanto à postura, idéias, olhar, fala e

gestos;

Fornecer subsídios para cuidados estéticos/pessoais;

Fornecer suportes teóricos e práticos para uma boa apresentação pessoal, tanto no

que se refere à dicção/ voz e estética.

Desenvolver o marketing pessoal.

2. Introdução:

Há muito tempo a arte da oratória vem ganhando notoriedade e importância. São

raríssimos os comunicadores tais como jornalistas, apresentadores de televisão, radialistas,

conferencistas, professores, recepcionistas, secretárias ou qualquer outro profissional que

lide com o público, que não procuram aperfeiçoar sua oratória.

É praticamente uma unanimidade a noção de que aprimorar a dicção, o gestual, a

expressão facial e corporal, e até mesmo a nossa apresentação física (considerada nosso

“cartão de apresentação”), entre outras coisas, é fator fundamental e decisivo para o

desempenho da tarefa de bem falar.

Estamos sempre nos comunicando uns com os outros e sabemos que toda relação

supõe comunicação, seja falada, escrita, gesticulada ou a nossa própria aparência.

Assim, cada vez que uma pessoa se expressa enquanto outra lhe dá atenção, temos

aí um orador a exercer a oratória.

3. Conhecendo o seu público

Cada platéia, cada grupo, tem suas características próprias.

Público infantil: necessitam de uma linguagem simples e material audiovisual como

quadros, cartazes, vídeos, entre outros.

Jovens: apreciam uma linguagem mais descontraída, com relatos de acontecimentos

pitorescos, curiosos.

Adultos: exigem uma comunicação mais sofisticada, exemplos sérios, práticos.

Idosos: em geral, são exigentes e precisam ser respeitados e muito valorizados.

Gostam de ouvir experiências antigas, apreciam a simplicidade e a verdade.

Público feminino: gostam de elogios e valorização profissional. Gostam de ouvir

palavras agradáveis e gentis. São mais observadoras.

4. Organização do discurso

O orador tem necessidade de organizar-se. Saber o objetivo que o leva a falar. Deve refletir

sobre organização e lógica. Não pode iniciar falando de um tema e partir para outro, pois

isso gera confusão no ouvinte, que perde o fio da meada.

Assim, o orador deve deixar uma impressão bem definida na mente dos ouvintes de forma

que a platéia possa transmitir a mensagem a outras pessoas também de forma organizada e

clara.

Para facilitar a apresentação pode-se seguir a seguinte estrutura:

Introdução (ou exórdio);

Desenvolvimento (ou corpo do discurso, ou exposição);

Conclusão (ou término ou peroração).

Introdução:

O propósito da introdução é despertar a curiosidade e fazer suspense, ganhar

atenção da platéia, fazer uma pequena transição lógica para entrar no assunto principal,

central.

A introdução do discurso deve ser sempre curta, pois a verdadeira essência do

discurso deve estar dentro do corpo do discurso.

Desenvolvimento:

É a parte mais importante do discurso, o orador vai passar aos ouvintes o que

realmente está pretendendo, é aí que se encontra o verdadeiro objetivo, a finalidade da

mensagem.

O que você deseja registrar na memória de seus ouvintes? Concentre-se no objetivo

principal.

Prepare-se. É isto que lhe dará segurança. Conhecendo bem o assunto você terá

entusiasmo e serenidade.

Use exemplos, fatos, histórias. Os ouvintes vão entender melhor quando você

exemplifica o que está sendo dito.

Divida o seu discurso em três ou no máximo quatro partes. O ouvinte vai

compreender melhor a idéia central desta maneira.

Conclusão:

O término de um discurso não deve apresentar nenhuma dúvida, hesitação. Algumas

sugestões:

Faça um resumo;

Use um exemplo;

Reforce a mensagem;

Termine com uma interrogação sobre algo importante (dentro do tema, é claro).

Este curso foi encontrado na internet sem informações sobre o autor e/ou de procedência, nosso objetivo é aqui é puramente compartilhar as informações com as pessoas que tenham interesse no assunto. Não sou o responsável pelas informações contidas nele.

Continue lendo (2ª Parte)…

Compartilhe Também:

Deixe seu comentário