7 dicas sobre o que não fazer durante a criação de um website


5. Nada de frames

Apesar de ser um pouco técnico, o uso de Frames é abominável. Basicamente trata-se de dividir a tela do navegador em “quadros”, e manter alguns quadros fixos. Antigamente era prática criar o menu lateral em um frame separado, o logo em um frame no topo, e o conteúdo em outro frame. O problema surge que a barra de rolagem acaba aparecendo em lugares estranhos, ou pior, fica cortada. Além disso, sites com frames impedem que o usuário veja o endereço (URL) da página atual, pois o navegador sempre apresenta a página que contém os frames. Infelizmente os frames não morreram: páginas com “musica” geralmente fazem uso de frames para manter a música tocando mesmo quando você navega … você peca na poluição sonora, irrita, e ainda perde navegabilidade do site.

6. Links em nova janela somente se for externo

Algumas pessoas tem uma estranha mania de querer que qualquer link de seu site abra em uma nova janela. Não! a regra é bem simples: TODO navegador abre um link em uma nova janela, basta segurar o CTRL (ou SHIFT) enquanto se clica no link, para justamente este fim, quando você não deseja sair da página atual. O contrário não é suportado pelos browsers mesmo porque sua programação enfrentaria alguns problemas de usabilidade. A regra é simples: só se abrem novas janelas (ou abas) para conteúdos únicos e geralmente fora de seu site, como um link para outro site. Se o usuário vai clicar em um artigo, uma notícia ou qualquer conteúdo de seu site, o link deve abrir na mesma página, de forma que o usuário possa usar o botão “voltar” do navegador. Se o usuário quiser que abra em outra janela, como foi dito, saber usar o navegador vai de longa ajuda.

7. 1% ainda é gente!

Apenas 1% usam o navegador “O”, e só 2% usam o navegador “C”, então para que se preocupar se o site funciona e aparece corretamente nele? Pois é, acontece que se seu site tem 1000 visitas por dia, 1% ja são 10 visitas – e você pode realmente dizer que dentre estas 10 visitas não existia um cliente realmente interessado? Uma das coisas mais abomináveis que existem são sites que não aparecem direito nos navegadores existentes. Claro, não vamos sair procurando navegadores usados por 0.0001% que ninguém conhece, mas os de nome, conhecidos e reconhecidos como “navegadores atuais” são importantes, mesmo porque as vezes o cliente não tem escolha: Em Apple você não tem como usar o Internet Explorer, em Unix muito menos, e a lista assim vai. É VITAL que os sites tenham pelo menos a aparência igual em todos os navegadores, e a funcionalidade básica também: Internet Explorer, Firefox, Opera, Chrome e Safari são exemplos de navegadores que, por menos que sejam utilizados, geram SIM clientes e visitas em seu site.

Texto de Caio Vianna de Lima Netto, Técnico em eletrônica e informática.

Compartilhe Também:

Deixe seu comentário