Suíço cria partido politico contra o PowerPoint

Foto: Reprodução

Todo dia quando abro meu e-mail sempre encontro uma linda mensagem de amor ou amizade criada a uns trezentos anos atrás e já foi repassada para metade do planeta, tem também aquelas velhas correntes pedindo para salvar o mundo ou denunciando algo escandaloso que só o autor sabe…

Se você também não aguenta mais olhar para a cara de bichinhos fofos, crianças, mensagens religiosas ou imagens de acidentes trágicos que chegam por e-mail em apresentações de PowerPoint? Tampouco tem saco para aturar aquelas reuniões onde o chefe exibe os resultados da empresa numa infinidade de slides nada atrativos?

Então filie-se ao PAPP, Partido Anti-PowerPoint (Anti-PowerPoint Party)criado pelo suíço Matthias Poehm, que também já escreveu um livro sobre o assunto The PowerPoint Fallacy (A Falácia do PowerPoint).

O PAPP alega que esse tipo de apresentação está tendo um impacto bastante negativo na economia mundial. Poehm, que é engenheiro de softwares, estima que o prejuízo gira em torno de 350 bilhões de euros – pouco mais de R$ 780 bilhões. O cálculo foi feito em cima do tempo em que se gasta preparando e também assistindo essas apresentações.

O movimento afirma que a sua intenção é levar a “questão do powerpoint” para o mundo todo. Mas, inicialmente, ele só conseguiu conquistar 212 membros. De acordo com o grupo, o uso de softwares como o powerpoint transforma as apresentações em “coisas chatas”, que as pessoas não vêem a hora de acabar. A saída, defende eles, seria o uso do bom e velho cartaz. As transparências também são bem-vindas.

A ideia do PAPP é propor um referendo para a proibição do uso do PowerPoint por obrigação em empresas ou colégios. Nada dessa história de aluno sem apresentação em slide tirar notas inferiores.

[via Correio24horas]
Compartilhe Também:

Seja o primeiro a comentar:

Deixe seu comentário