Curso e vídeo grátis sobre adestramento canino

Depois que ele aceitar essa atitude de trazer para mais perto, algumas vezes, comece a endurecer o jogo, exigindo cada vez mais perto. Nessa segunda etapa deste procedimento basta que ele aproxime a bolinha mais uma vez. Você deve exigir cada vez mais perto até ele trazer junto mesmo.
É chegado o momento de exigir que ele entregue “em mãos”.

Neste procedimento você deve começar abaixando-se para pegar a bolinha no chão.
Depois, peça espalmando como no início. Nesse procedimento ele já tem conhecimento do processo da insistência e será mais curto. Insista até que ele pegue a bolinha no chão e coloque na sua mão. É a fase mais demorada mesmo.

Novamente NÃO perca essa oportunidade para se mostrar super alegre com a atitude para jogar a bolinha novamente para ele buscar.

Com a continuidade ele deverá entregar a bolinha em mãos.

Dos treinamentos é o mais fácil.

Você deve fazer um programa de trabalho:
Os cães, assim que nascem, encontram as tetas da mãe em menos de um minuto, ainda com os olhos e os ouvidos fechados. O olfato é o primeiro dos sentidos que se desenvolve e é o mais aguçado.
Querer ensinar um cão a farejar é uma pretensão igual a querer ensinar um pássaro a voar. O faro faz parte dos atributos naturais dos caninos.
O que você deve ensinar é encontrar o que você deseja.
Para percorrer uma trilha ele precisa querer…

Vamos lá:
O objetivo do treinamento do faro é fazer com que o cão associe o rastro deixado por uma pessoa àquilo que ele mais gosta. Tipo: no fim, se ele achar ganha um prêmio.

1. descubra o petisco que o cão mais gosta: salaminho, salsicha, fígado cozido, biskrok etc.

2. faça , na grama virgem (ainda não pisada), uma trilha com pequenos pedacinhos desse petisco (de 10 em 10 cm) de maneira que ao comer um ele já veja o outro e ao mesmo tempo associe com o cheiro da grama pisada. (Você já deve ter sentido o cheiro de grama recém-cortada, pois bem, o cão, que tem o olfato mais apurado que o nosso, consegue sentir o cheiro de grama pisada).

3. Essa trilha deve ser feita de manhã cedo, antes dos cães terem se alimentado e pode, no início, ser de um metro reto, com uma esquina e, depois, mais um metro. Ele vai fazer a trilha na primeira tentativa.

4. Na sequência , você deve ir aumentando a distância dos petiscos, bem lentamente:
de 10 para 15 cm, depois 20, 30, 50, 80, 120 e só passar para outra mudança quando o cão já estiver fazendo bem a anterior. Vai chegar a um ponto no qual o cão não consegue mais ver o próximo petisco e terá que achá-lo pelo faro. Essa sequência deverá ser estendida até o cão conseguir fazer uma trilha de 100 metros, cada reta, encontrando apenas um só petisco em cada uma.

5. A próxima etapa é esconder a isca numa bolsinha que o cão não consiga abrir.
Ele terá que achar a bolsinha, avisar e esperar até que você chegue para abrir a bolsinha e oferecer o petisco.

6. A etapa seguinte é encontrar a bolsinha vazia e receber o petisco por você depois de ter indicado a bolsinha.

Pronto, você ensinou ele a achar a bolsinha. Depois é só continuar o treinamento até que ele encontre qualquer coisa que você queira.

Compartilhe Também:

Deixe o seu comentário:

Fechar Menu