em

Mini Curso de Estética, Marketing Pessoal e Oratória

Próximo

5. Sugestões para a boa comunicação

Podemos considerar seis elementos fundamentais para a boa comunicação:

Postura correta

Idéias organizadas

Olhar concentrado

Ouvir com atenção

Falar com clareza

Gestos adequados, coerentes.

 

6. Erros da comunicação / o que impede uma boa comunicação

Não saber ouvir

Não responder quando é perguntado

Interromper alguém que está falando

Mudar de assunto sem concluí-lo

Não prestar atenção na pessoa que está falando.

 

7. Comunicação corporal / gestos/ olhar

“Tanto na voz quanto no corpo, trazemos impressa nossa história de vida; este registro

aparece em nossa estrutura corporal, em nossos bloqueios, em nossos gestos e em nossas

expressões faciais. Nosso estado corporal é conseqüência das pressões externas ( do meio

ambiente) e internas (idealizações) que, entrando em choque, provocam conflitos que se

traduzem em contrações musculares” .

Comunicamo-nos não somente pelo uso da voz, mas com todo nosso corpo. A integração

corpo-voz é um dos parâmetros básicos pelos quais devemos avaliar o equilíbrio emocional

de um indivíduo. Assim, para uma comunicação ser efetiva e não gerar dúvidas no ouvinte,

o corpo e a voz devem expressar a mesma intenção.

 

O OLHAR:

O olhar é fundamental para demonstrar o domínio da situação, o controle dinâmico e

psicológico da platéia. Um olhar de simplicidade exerce extrema força sobre o público que,

empaticamente, retribui o mesmo sem consciência disso.

Em contato individual o olhar deve ser definido. Você não deve evitar olhar nos olhos do

outro mesmo que esteja se sentindo constrangido. Através do olhar você pode transmitir

firmeza e segurança.

Dinâmica manter contato visual com um dos integrantes do grupo. Lembrar que o olhar é a

porta da alma.

 

A VOZ:

A voz revela o nosso estado de saúde físico , psíquico e emocional.

Existem numerosos exercícios que auxiliam grandemente o aparelho fonador e que

fornecem um excelente resultado. Falaremos sobre os exercícios adequados a cada um num

segundo momento.

Dinâmica: mostrar fita com vários tipos de voz que demonstram segurança, insegurança…

 

OS GESTOS:

Existem duas correntes que discorrem sobre o gestual: uma prefere os gestos bem

expressivos e a outra defende mais expressões do rosto. O ideal é que os gestos estejam

compatíveis com a inflexão da voz e com o que o orador quer passar.

 

Gestos que devem ser evitados:

– esfregar freqüentemente o nariz

– limpar diligentemente os óculos com o lenço

– tossir várias vezes para clarear a voz

– coçar a cabeça

– brincar com as chaves ou qualquer outro objeto

– consultar várias vezes o relógio

– apoiar-se na parede

– apalpar várias vezes a gravata ou o cabelo

– sentar-se em cima da mesa

– apontar o dedo para o ouvinte.

Tais gestos podem demonstrar insegurança.

Dinâmica: observar os locutores e repórteres da televisão.

 

8. Uso do microfone

Falar com os lábios em direção ao microfone (em direção não quer dizer com os

lábios grudados no microfone);

Não falar próximo demais do microfone, colando-se a ele, para evitar o pupear, o

som do sopro. Em geral, é bom falar à distância média de um punho fechado ou um

pouco mais de distância.

O próprio locutor ou leitor deve procurar ouvir o retorno de sua voz. Se ele ouvir

com distinção e clareza, é sinal certo de que os ouvintes também estão ouvindo com

distinção e agradabilidade.

Dinâmica: pedir para cada um ir falar no microfone.

 

9. Higiene Vocal

Definição:

São normas básicas que auxiliam a preservar a saúde vocal e prevenir o

aparecimento de alterações e doenças.

“As normas de higiene vocal são simples devendo, portanto, serem respeitadas para que se

evite o estabelecimento ou piora de algum problema vocal”.

 

Algumas normas básicas:

-Pigarro, tosses: provocam atrito das pregas vocais de forma brusca;

-Ar condicionado: reduz a umidade do ar ressecando o trato vocal;

-Não fumar: a fumaça quente agride todo o sistema respiratório e principalmente as

pregas vocais causando edemas.

-Evitar café, mate e refrigerante gasosos, pois provocam o ressecamento das pregas

vocais;

-Balas, pastilhas e sprays locais acabam por mascarar a dor do esforço vocal,

prejudicando mais ainda o estado das mucosas;

-Hidratoterapia: ingestão de água numa média de 2 litros ao dia é importantíssima;

-Postura corporal: o palestrante deverá manter o corpo livre para acompanhar

espontaneamente o seu discurso;

-Maçã: por sua propriedade adstringente é aconselhada antes de atividades que

exijam maior tempo de fala.

 

10. Avaliação vocal

Avaliação individual

 

11. Pensamento, linguagem e emoção

A fala é composta por um dos movimentos mais finos e mais precisos que o corpo humano

pode realizar. Essa condição, implica por si só, em possíveis falhas na produção

articulatória.

Além disso, para que se fale algo é necessário considerar o trabalho de elaboração do

pensamento em linguagem, que encontra na atividade articulatória sua principal forma de

expressão. Se considerarmos que o nosso pensamento flui muito mais rapidamente do que a

nossa própria fala, percebemos que falhas como hesitações, repetições de palavras, entre

outras, podem surgir.

Finalizando, a emoção influência de forma definitiva os dois processos citados

anteriormente (movimento preciso e pensamento). Do ponto de vista motor, devemos

considerar, que as emoções experimentadas pelo indivíduo manifestam-se sempre por meio

de modificações no tônus e na musculatura envolvida no processo do “falar”. De forma

semelhante, quando a emoção está “ativiada” o processo de transformação do pensamento

em linguagem fica prejudicado podendo gerar o “branco”.

Assim, fica claro que qualquer emoção (tensão, nervosismo…) que tome conta do indivíduo

no momento de fala ficará evidente em sua voz.

 

12. Produção da voz

A voz é uma das extensões mais fortes da nossa personalidade, nosso sentido de inter

relação na comunicação interpessoal, um meio de atingir o outro. E a voz só existe porque

existe o outro“.

Considerações anátomo-fisiológicas da laringe:

Ressonância / articulação

Cavidades supra – glóticas

Som: fraca intensidade

Pregas vocais aduzidas

Traquéia

Ar dos pulmões

Assim, para uma voz clara e com alcance é necessário:

a) coordenação e adequação da respiração;

b) laringe solta para produzir a vibração, ou seja, sem tensões;

c) boa articulação e projeção da voz.
13. Dinâmica em grupo

Relaxamento

• Respiração

• Coordenação fono-respiratória

• Dicção

Próximo

Deixe o seu comentário:

Gerador de Números da Mega Sena

Áudio curso – Leitura dinâmica e memorização