Compartilhe com um Amigo:

Lei de Murphy

Se você não passou o último século viajando por outros planetas sem dúvida alguma já deve ter ouvido falar da Lei de Murphy, sem contar que muito provavelmente você já foi uma vítima dessa lei assim como eu e todas as pessoas que conheço.

“Tudo que pode dar errado, dará”, assim que é conhecida a famosa Lei do Murphy, frase favorita dos azarados e pessoas pouco confiantes, mas, você tem ideia de como surgiu essa lei e quem é a pessoa de nome Murphy?

Os primeiros conceitos sobre uma lei que diz que qualquer coisa pode que possa dar errado dará sugiram em 1877, quando Alfred Holt teria dito em um discurso a Engenheiros Civis que “Verifica-se que qualquer coisa que pode dar errado no mar geralmente dá errado, mais cedo ou mais tarde …”.

Em 1908, Nevil Maskelyne explicou em seu livro de mágica, “A Circular Magia” que “É uma experiência comum a todos os homens a descobrir que, em qualquer ocasião especial… tudo o que pode dar errado vai dar errado…”.

Edward Aloysius Murphy
Edward Aloysius Murphy, Jr (1918-1990)

Em 1949, os cientistas e engenheiros da Base da Força Aérea Edwards, no deserto de Mojave, na Califórnia estavam realizando testes para descobrir quantos Gs (a força da gravidade em um plano estudado pela aviação) os seres humanos poderiam sobreviver. Um foguete chamado de Gee Whiz iria viajar mais de 200 quilômetros por hora e parar de repente para simular um acidente de plano para o seu passageiro teste.

O primeiro equipamento criado para medir a força G parecia ser confiável, por isso, a Força Aérea chamou o ex-piloto e engenheiro aeroespacial, Major Edward Aloysius Murphy Jr. para criar e supervisionar a instalação de novos sensores. Porém, depois de alguns testes serem realizados com chimpanzés, os medidores de tensão acabaram não apresentando leitura alguma!

Em uma declaração posterior aos testes frustrados, Murphy culpou os técnicos que instalaram os equipamentos dizendo que “Se há alguma forma de fazer as coisas erradas, eles vão fazer.” Mais tarde, um voluntário, o Coronel John Paul Stapp, participou de vários testes, onde chegou a marca de 46,2Gs, quebrando o limite que havia sido imaginado para seres humanos, de 18 Gs.

Segundo algumas fontes, a tensão e o escândalo gerados por Murphy pelas falhas nos testes acabou virando uma chacota para a equipe da força aérea responsável pelo projeto. Embora alguns considerem um desrespeito a valentia de Murphy, o seu nome acabou virando um sinônimo de erros e azar.

Em uma conferência de imprensa, o Coronel Stapp foi perguntado sobre como tais testes tão perigosos nunca haviam gerado uma morte, em simples resposta, o coronel disse que sua equipe mantinha sempre em mente a “Lei de Murphy” enquanto trabalhavam, planejando evitar erros.

Que tal um vídeozinho com um compilado de situações azaradas só pra descontrair?

Segundo o site Murphy Laws, existe uma lista de aplicações alternativas para o pessimismo, as quais são:

  • Se alguma coisa pode dar errado, vai dar no momento mais inoportuno.
  • Quanto maior for o valor do tapete, maior a probabilidade do gato deitar-se nele.
  • Se houver uma possibilidade de várias coisas darem erradas, o que vai causar o maior dano será o único a dar errado (ou o primeiro).
  • A outra fila sempre move mais rápido.
  • A possibilidade de o lado da manteiga de o pão cair com a manteiga voltada para baixo é diretamente proporcional ao custo do tapete.
  • Em qualquer hierarquia, cada indivíduo se eleva ao seu próprio nível de incompetência, e em seguida, permanece lá. (Também conhecido como o “Princípio de Peter”).
  • Se alguma coisa cair no banheiro, vai cair na privada.
  • Depois que você comprou um substituto para algo que você perdeu e procurou em todos os lugares, você vai encontrar o original.
  • As melhores fotos de golfe acontecem quando você está sozinho (e o pior quando se joga com alguém que você quer impressionar).
  • Deixados a si mesmos, as coisas tendem a ir de mal a pior.
  • Tráfego é inversamente proporcional ao quão atrasado você está, ou estará.
  • Um objeto em queda sempre vai pousar onde ele possa causar o maior dano.
  • A probabilidade de ser o centro das atenções é diretamente proporcional à estupidez de suas ações.
  • Você sempre vai encontrar algo no último lugar que procurar.
  • O que quer que atinja o ventilador não será distribuído uniformemente.

Deixe o seu comentário:

Fechar Menu