Compartilhe com um Amigo:


Esta pensando em criar o seu site pessoal ou de sua empresa na Internet? Então confira as dicas sobre o que nunca devemos fazer em nossas páginas Web.

Conforme mais pessoas contratam empresas e agências para a elaboração de seus sites, a popularização de diversas mídias, recursos e “enfeites” torna-se bastante difundido entre as pessoas. No entanto, muitos clientes não compreendem o que realmente é um website na internet, seu propósito e quem o utiliza, e pior, não perde um segundo para pensar no assunto, ou não ouve as dicas dos especialistas que esta contratando para fazer o site e impõe a criação de conteúdos extremamente negativos para um site.

Desnecessário dizer, mais tarde quando um “amigo” ou “parente” nota o erro no site, geralmente brincando que o site é mau feito, o cliente acaba se voltando contra os desenvolvedores como se a culpa fosse deles – aquelas trocas de mensagens e discussões tentando convencer o cliente para não fazer isto ou aquilo são esquecidas.

Mas quais são estes erros tão sensíveis que afastam e aterrorizam o cliente, inclusive podendo denegrir a imagem de sua empresa ou imagem, meramente por existir em seu site? Vejamos as 7 mais comuns.

1. Pop-ups

Em estudo realizado dentre usuários experientes, Pop-ups são o maior mal da internet. Enquanto muita gente acha que “Pop-up” são aquelas propagandas muitas vezes sem nexo com o site, cheias de efeitos brilhantes e – obviamente – irritantes, como Pop-ups entende-se qualquer janela ou mensagem que aparece sobrepondo o conteúdo desejado do site. Ou seja, até mesmo Pop-ups criadas direcionadas pelo próprio site para alguma forma de notificação, propaganda ou lembrete, e também aqui incluídas os infames Pop-ins (que são conteúdos que não geram uma janela, e portanto o navegador não tem como bloquear), são consideradas Pop-ups. Afinal, como o nome diz, a coisa “Pula na frente” do que você esta querendo. Muita gente pensa duas vezes antes de acessar um site que comece a usar este recurso. Muito mais elegante e eficiente criar uma mensagem, dentro do layout do site, para exibir a mesma mensagem, sem atrapalhar o visitante. Um grande NÃO para o uso destas irritantes janelinhas.

2. Músicas ou sons

Se Pop-ups já não são irritantes o suficiente, o que dizer de músicas em um website. Definitivamente não! Sites são fontes de informação, interação e consulta, e não uma estação multimídia. A grande maioria das pessoas que navega na internet ou o fazem de forma silenciosa, e não querem que seu computador saia fazendo sons sem aviso, ou estão já ouvindo seu mp3 predileto. Além disso, algo que deveria ser desnecessário dizer, cada um tem seu gosto musical, e o que parece uma excelente música para o proprietário do site, pode ser gritos de terror para seu cliente. Sons, como efeitos ao clicar em um botão ou uma mensagem de boas vindas (Deus nos livre!) são igualmente irritantes, principalmente porque geralmente vêm realmente de surpresa e em alto volume. Novamente, de jeito nenhum uma página deve possuir músicas – se você tem alguma necessidade sádica em ter música em seu site, que ela seja carregada DESLIGADA, com o usuário tendo a opção de LIGAR, e não o contrário.

3. Excesso de banners ou movimentos

O que não polui aos ouvidos pode poluir a visão. Alguns sites tem seu conteúdo perdido no meio de dezenas de banners (piscando, brilhando, e outras coisas para chamar atenção … ou melhor … distrair a atenção do conteúdo do site.). Se a área de seu site tiver mais do que 10% de banners, é melhor repensar o layout, pois além de serem 10% de área perdida para o seu conteúdo, é algo que estraga o layout e prejudica a navegação. E não é só a quantidade que importa, a “qualidade” também, e aqui quanto menos, melhor: nada de brilhos, efeitos, animações. Uma simples imagem discreta é o suficiente – a maioria das pessoas não presta atenção quando tem algo piscando no site, já que geralmente trata-se de uma propaganda desnecessária. De fato, uma propaganda sutil as vezes pode chamar mais atenção do que um carnaval.

4. CORES são DIVERTIDAS

Não, cores não são divertidas. Quanto mais colorido, mais seu site vai estar falando “amador”. Apesar de parecer óbvio que você não deve escrever com cores e fundos diferentes para cada frase (!!!!), é impressionante o número de clientes que, uma vez o site pronto e com o layout encaixado e sóbreo, preenchem o conteúdo com cores chamativas e piscantes que doem os olhos. É como se todo o dinheiro e tempo gasto contratando o designer fosse por água baixo – todo site tem uma identidade visual que inclui as cores padrão: O fundo é branco, o fundo do conteúdo um cinza bem claro, a fonte preta, links são azulados, a cor da empresa é laranja. Pronto, com isto é possível fazer um layout fabuloso, com poucas cores e que não dói nos olhos – chega o cliente e coloca uma notícia mais ou menos assim:

NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA!

Aconteceu algo agora que precisamos lhe contar

Segundo testemunhas bla bla bla …

Paciência! Não adianta você ter o melhor designer e sistema do mundo se você o usa para criar um circo! Não mude as cores de seu layout, mantenha-se no rumo e mantenha o padrão, e tudo parece muito mais profissional, e o mais importante, legível

5. Nada de frames

Apesar de ser um pouco técnico, o uso de Frames é abominável. Basicamente trata-se de dividir a tela do navegador em “quadros”, e manter alguns quadros fixos. Antigamente era prática criar o menu lateral em um frame separado, o logo em um frame no topo, e o conteúdo em outro frame. O problema surge que a barra de rolagem acaba aparecendo em lugares estranhos, ou pior, fica cortada. Além disso, sites com frames impedem que o usuário veja o endereço (URL) da página atual, pois o navegador sempre apresenta a página que contém os frames. Infelizmente os frames não morreram: páginas com “musica” geralmente fazem uso de frames para manter a música tocando mesmo quando você navega … você peca na poluição sonora, irrita, e ainda perde navegabilidade do site.

6. Links em nova janela somente se for externo

Algumas pessoas tem uma estranha mania de querer que qualquer link de seu site abra em uma nova janela. Não! a regra é bem simples: TODO navegador abre um link em uma nova janela, basta segurar o CTRL (ou SHIFT) enquanto se clica no link, para justamente este fim, quando você não deseja sair da página atual. O contrário não é suportado pelos browsers mesmo porque sua programação enfrentaria alguns problemas de usabilidade. A regra é simples: só se abrem novas janelas (ou abas) para conteúdos únicos e geralmente fora de seu site, como um link para outro site. Se o usuário vai clicar em um artigo, uma notícia ou qualquer conteúdo de seu site, o link deve abrir na mesma página, de forma que o usuário possa usar o botão “voltar” do navegador. Se o usuário quiser que abra em outra janela, como foi dito, saber usar o navegador vai de longa ajuda.

7. 1% ainda é gente!

Apenas 1% usam o navegador “O”, e só 2% usam o navegador “C”, então para que se preocupar se o site funciona e aparece corretamente nele? Pois é, acontece que se seu site tem 1000 visitas por dia, 1% ja são 10 visitas – e você pode realmente dizer que dentre estas 10 visitas não existia um cliente realmente interessado? Uma das coisas mais abomináveis que existem são sites que não aparecem direito nos navegadores existentes. Claro, não vamos sair procurando navegadores usados por 0.0001% que ninguém conhece, mas os de nome, conhecidos e reconhecidos como “navegadores atuais” são importantes, mesmo porque as vezes o cliente não tem escolha: Em Apple você não tem como usar o Internet Explorer, em Unix muito menos, e a lista assim vai. É VITAL que os sites tenham pelo menos a aparência igual em todos os navegadores, e a funcionalidade básica também: Internet Explorer, Firefox, Opera, Chrome e Safari são exemplos de navegadores que, por menos que sejam utilizados, geram SIM clientes e visitas em seu site.

Texto de Caio Vianna de Lima Netto, Técnico em eletrônica e informática.

Deixe o seu comentário:

Fechar Menu