Tudo sobre o IPv6, O próximo capítulo da história da Internet

Da mesma forma, o seu telefone está associado com um número único, seu computador também precisa de uma numeração exclusiva para entrar em uma rede, essa identificação é conhecida como Internet Protocol (IP), todas maquinas na Internet precisam ter endereço IP. O protocolo atual, o IPv4, permite que cerca de 4 bilhões de endereços únicos e esse número está prestes a acabar.

A solução já vem sendo desenvolvida  a mais de uma década, e começou agora a ser implementado pelas gigantes da Internet, como Google, Yahoo! e Microsoft, e deve se tornar padrão até o final de 2012.

O IP versão 6 como solução definitiva para o problema do esgotamento do espaço de endereçamento Internet.

O IP versão 6 começou a ser desenvolvido no início da década de 1990, com o objetivo de ser a solução definitiva para o esgotamento do espaço de endereçamento Internet. Tendo esse como o principal objetivo, a principal diferença em relação à versão anterior do protocolo é em relação ao espaço de endereçamento, aumentado de 32 bits para 128 bits.

Um endereço de 128 bits implica num espaço enorme, que supre todas as necessidades atuais e para o futuro imaginável da Internet. O espaço de endereçamento do IP versão 6 é de 2128 = 340.282.366.920.938.463.463.374.607.431.768.211.456 endereços, o que representa cerca de 79 trilhões de trilhões de vezes o espaço disponível no IPv4. Esse número equivale a cerca de 5,6 x 1028 endereços IP por ser humano, ou ainda, aproximadamente, 66.557.079.334.886.694.389 de endereços por cm2 na superfície da Terra.

Os endereços passam a ser representados por números hexadecimais de 16 bits, separados por “:”. É indiferente representar as letras com maiúsculas ou minúsculas, e algumas abreviações são possíveis, como a omissão de zeros à esquerda e a representação de um conjunto contínuo de zeros por “::”. São exemplos, então, de números IP válidos na versão 6:2001:0db8:0000:130F:0000:0000:087C:140b e 2001:0db8:0:130F::087C:140b. As redes são representadas como no CIDR, utilizado no IPv4, utilizando a “/”, seguida do número de bits representativos da sub-rede.

Os Registros Locais, hoje, recebem alocações /12. Um AS (Autonomo System) recebe um /32. Usuários finais recebem alocações que variam entre /48 e /56, conforme o tamanho de suas redes ou necessidade. Perceba-se que um /48 equivale a 1.208.925.819.614.629.174.706.176 endereços e um /56 a 4.722.366.482.869.645.213.696 endereços, números indiscutivelmente grandes o suficiente para atenderem às necessidades dos usuários domésticos, empresas e outras instituições em suas redes. Note-se, também, que num espaço de endereçamento de 128 bits, é possível atribuir 281.474.976.710.656 blocos /48 diferentes, número cerca de 40 mil vezes maior do que a população atual do planeta.

Fonte:
www.ipv6.br, no site você também encontra muito mais sobre o assunto sobre a licença Creative Commons.

Palestra CPBR10 – Segurança e Rede. IPV6: a Internet precisa dele para continuar crescendo

Compartilhe Também:

Um comentario

Deixe seu comentário